Pintura milionária é destruída pelo próprio artista depois de ser leiloada

Pintura milionária é destruída pelo próprio artista depois de ser leiloada

postado em: Mãe, eu que fiz! | 0

Banksy é o pseudônimo de um artista, pintor de graffiti, muito conhecido em todo o mundo. Nascido em 28 de julho de 1973, além pintor, ele é ativista político e diretor de cinema, mas seu nome verdadeiro ainda não foi divulgado. Mas antes de entender o motivo dele destruir sua obra, temos que saber como ela chegou a custar tanto.

 

A fama de Banksy

Capa da banda Blur, desenhada por Banksy

Banksy ficou conhecido no mundo todo devido aos seus graffitis com forte crítica política e social. Entretanto, seus primeiros trabalhos surgiram nas ruas de Bristol, na Inglaterra sem chamar a atenção. Considerado um artista underground desde os anos 90, suas obras costumam ser de protestos contra a polícia, governos e religiões. Mas a sociedade como um todo, e sua relação com as redes sociais, também são alvo do artista.

As obras começaram a ser postadas justamente nas redes sociais. Mas foi a partir daí que a fama do artista se espalhou, atraindo uma verdadeira multidão que diariamente visitam as paredes onde o artista deixou sua arte e seus protestos.

Ainda que mais conhecido pelo trabalho de graffiti, Banksy é responsável por deixar mensagens de protesto em zoológicos a favor dos animais. De trocar o rosto da rainha da Inglaterra pela face da princesa Diana em notas de 10 libras e criar a capa de um disco. A banda Blur, traz em seu álbum de 2004 uma ilustração feita pelo artista que na época ainda era pouco conhecido.

 

Graffiti contra o sistema

É inegável que os trabalhos mais conhecidos de Banksy seja os grafites de protesto. Nem sempre ele fala contra os poderosos. Muitas vezes, como este mural abaixo, ele critica o consumismo, por exemplo. Esta obra que mostra homens da caverna caçando um carrinho de supermercado acabou indo para o acervo permanente do Museu Britânico.

Outras obras, claro, ele critica o sistema, o capitalismo, os governos e religiões mas não é apenas isto. Algumas delas são autoexplicativas, outras tentam trazer alguma reflexão para que as vê.

 

A obra destruída

Uma das coisas que começou a incomodar Banksy foi justamente a capitalização em cima de suas obras. Banksy mesmo nunca vendeu obra alguma, mas alguns moradores começaram a retirar paredes inteiras grafitadas por ele para vender em leilões.

Conhecido crítico ao sistema capitalista, Banksy passou a bolar uma maneira de protestar contra a comercialização de suas obras. E ele fez disto um ato artístico e contraventor, ao mesmo tempo.

O próprio Banksy doou uma tela para um leilão, não sem antes instalar na parte de baixo da moldura um triturador de papel. Quando a obra foi arrematada por 1,4 milhão de libras (cerca de R$ 5 milhões), o triturador entrou em ação. Você pode ver a preparação do dispositivo e a reação do público na hora do acionamento no vídeo abaixo.

Repercussão

Banksy mais uma vez voltou à mídia com uma arte de protesto. Desta vez não foi por um graffit, mas por destruir sua própria obra. Como ato artístico e de mídia foi uma jogada de gênio, e ele como ninguém sabe explorar seus protestos para ganhar ainda mais notoriedade.

A casa de leilões Sotheby’s, de Londres, ondo o ato ocorreu disse que ainda não sabe o que fazer. Nem o comprador da obra sabe ao certo o que fará. Mas o fato é que, após se autodestruir, a obra provavelmente vale ainda mais. Um tiro no pé do artista, mas que ainda assim lhe dará muita notoriedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *